Goiás detém o 3º maior rebanho bovino rastreado para exportações à União Europeia

Estado possui 298 propriedades habilitadas com 2,9 milhões de animais rastreados, conforme o Sistema Brasileiro de Identificação Individual de Bovinos e Búfalos (Sisbov), do Mapa

O Estado de Goiás é destaque nacional em exportação de carne bovina para a União Europeia, colocando-se em segundo lugar em número de propriedades aptas a exportar e terceiro lugar em quantitativo de animais rastreados. Em 2022 foram abatidas 1,2 milhão de cabeças destinadas à exportação para o continente europeu. Em número de animais rastreados, Goiás fica atrás apenas de Mato Grosso e Mato Grosso do Sul.

Em todo o País existem 1.327 propriedades inscritas no Sisbov, das quais 298 em Goiás, o que representa 23% do total de unidades aptas às exportações para a Europa. Ainda conforme o Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa), em 2022 foram realizadas mais 16 auditorias de habilitação de propriedades goianas para exportações à União Europeia.

Auditorias da Agrodefesa

Todos os anos, por orientação do Mapa, o Serviço Veterinário Oficial, em Goiás sob responsabilidade da Agência Goiana de Defesa Agropecuária (Agrodefesa), realiza auditorias de acompanhamento, por amostragem, nas propriedades habilitadas no Sisbov para exportação de carne para a Europa. O trabalho é feito em parceria, com auditores do Mapa e da Agência ou com profissionais apenas da Agrodefesa.

A meta estabelecida para 2022 era fiscalizar 32 propriedades, que também são denominadas de Estabelecimentos Rurais Aprovados (ERAS). “A Agrodefesa superou esse número, realizando auditorias em 50 unidades”, informou o presidente da Agência, José Essado. Ele adiantou também que para 2023, a meta é realizar auditorias em 30 ERAS, ou seja, algo em torno de 10% do total de propriedades rastreadas, trabalho que já foi iniciado.

O Sisbov é o sistema oficial de identificação individual de bovinos e búfalos, sendo que a adesão, pelos produtores rurais, é voluntária, exceto quando definida sua obrigatoriedade em ato normativo próprio, ou exigida por controles ou programas sanitários oficiais. 

Para aderir ao Sistema, os pecuaristas interessados devem identificar uma certificadora autorizada pelo Mapa. Após a contratação da empresa, os bovinos e bubalinos da propriedade são identificados com os brincos Sisbov, com observância das exigências previstas na legislação em vigor pelo produtor e pela certificadora.

O coordenador do Sisbov no âmbito da Agrodefesa, fiscal estadual agropecuário Bruno Rodrigues de Pádua, afirma que “a manutenção da habilitação do Estado de Goiás para União Europeia aumenta a credibilidade e abre portas para novos mercados importadores da carne goiana”.

Conforme dados do Sisbov, Goiás abateu em 2022 o total de 1,2 milhão de bovinos rastreados com destinação para a União Europeia  

A cada ano, cresce o número de animais rastreados e o quantitativo de propriedades habilitadas à exportação para o mercado europeu

Agência Goiana de Defesa Agropecuária – Governo de Goiás

Utilizamos cookies essenciais e tecnológicos semelhantes de acordo com a nossa Política de Privacidade e, ao continuar navegando, você concorda com estas condições.