Governo de Goiás abre Sistema de Defesa Agropecuária (Sidago) a outros Estados

Acordo de cooperação foi apresentado durante videoconferência com representantes de 14 unidades da Federação. Sidago será utilizado em outras regiões do país para desburocratizar a vida do produtor rural e garantir a sanidade animal e vegetal dos produtos comercializados no campo. Recurso oferecido pela Agência Goiana de Defesa Agropecuária (Agrodefesa) colabora para consolidar utilização de plataformas digitais no setor e promover integração de informações em escala nacional. Amazonas, Roraima, Amapá, Piauí e Paraíba já utilizamferramenta. Governador Ronaldo Caiado destaca parcerias.

O governador Ronaldo Caiado participou, nesta quarta-feira (1º/09), da solenidade de cessão de uso do Sistema de Defesa Agropecuária de Goiás (Sidago) a outros Estados. A videoconferência reuniu representantes de 14 unidades da Federação. A ação contribui para o cumprimento das prerrogativas exigidas pelo Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa) para a garantia de que todo produto agropecuário nacional esteja protegido do risco de pragas e enfermidades.


A tecnologia do Sidago foi desenvolvida com o objetivo de facilitar a vida do produtor rural, uma vez que pelo celular é possível emitir Guias de Trânsito Animal (GTAs), tirar notas fiscais, fazer a declaração de vacinação contra aftosa, cadastro de lavouras, autorização para aquisição de mudas, dentre outros.

Durante o evento on-line, realizado pela Agência Goiana de Defesa Agropecuária (Agrodefesa), Caiado celebrou a oportunidade que o Estado tem de compartilhar seu know how para que “esse modelo seja implantado no maior número de lugares”. O acordo de cooperação, segundo o governador, representa um importante avanço tecnológico para o setor agrícola e para a economia do Brasil. “Naquilo que pudermos contribuir, contem com o Governo de Goiás”, enfatizou.

Plataformas tecnológicas com performance consolidada, como no caso do Sidago, permitem aos órgãos executores de sanidade agropecuária o acesso à informações com agilidade e segurança para subsidiar ações estratégicas. O recurso possibilita também o controle informatizado para acompanhamento do trânsito de produtos agropecuários no país com a finalidade de evitar incidentes sanitários. Os detalhes foram apresentados na videoconferência pelo diretor de Gestão Integrada da Agrodefesa, Augusto Amaral.

“Nós faremos a implementação no Estado demandante e, a partir de então, cada unidade da federação segue com a manutenção e o desenvolvimento”, explicou o presidente da Agrodefesa, José Essado. Ainda de acordo com ele, todo o trabalho da área de TI da agência tem como fim único desburocratizar, modernizar e agilizar os serviços oferecidos aos produtores.

 

A Paraíba, por exemplo, utiliza o sistema desde janeiro de 2020. “Com a adesão ao Sidago, estamos fazendo economia de R$ 540 mil ao ano. Para um Estado como o nosso, é uma vantagem muito grande”, declarou o gerente executivo de Defesa Agropecuária, Rubens Tadeu. Já a diretora geral da Agência Estadual de Defesa Agropecuária do Maranhão, Fabíola Mesquita, disse que a ferramenta desenvolvida em Goiás é robusta e colocará o Estado nordestino “10 anos à frente em relação à tecnologia utilizada hoje”.

Amazonas, Piauí, Roraima e Amapá também já utilizam o sistema. Atualmente, além do Maranhão, ele está em fase de implementação na Bahia, Espírito Santo e Distrito Federal. Outras unidades da Federação, como Rio Grande do Norte, Ceará, Alagoas, Sergipe e Pernambuco, manifestaram interesse.

De acordo com o secretário de Estado de Agricultura, Pecuária e Abastecimento, Tiago Mendonça, esse compartilhamento tecnológico só confirma a importância das políticas públicas adotadas em Goiás. “O sistema goiano já é referência no País e, quem sabe, não se torna referência para a criação de um sistema único de defesa agropecuária no Brasil. Essa parceria é um grande início, uma virada para que todos os estados possam inovar em tecnologias para fortalecer a pecuária. É preciso avançar nos propósitos de dar mais condições para os produtores desenvolverem melhor suas atividades e Goiás, com o Sidago, tem feito isso”, comentou.

Plataforma Sidago
O Sistema de Defesa Agropecuária de Goiás foi desenvolvido pela equipe de TI da Agrodefesa com investimentos feitos em tecnologia ao longo dos últimos anos pelo governo estadual. Desde 2019, o Tesouro Estadual realiza o repasse anual de R$ 1,4 milhão de investimentos à Agência. A plataforma integra informações estratégicas de defesa agropecuária animal e vegetal, acompanha em tempo real o trânsito agropecuário e permite ao gestor a tomada assertiva de decisões.

Em janeiro de 2020, o sistema passou a oferecer mais uma forma de acesso ao produtor rural. Na data, o governador Ronaldo Caiado lançou o aplicativo do Sidago, durante visita à sede da Agrodefesa. Com a iniciativa, na palma da mão, de qualquer lugar do país, pecuaristas e agropecuaristas cadastrados podem acessar a plataforma que oferece informações para a tomada de decisões estratégicas no campo.

Para usar o Aplicativo, o produtor deve possuir login e senha do Sidago. Caso ainda não possua, poderá obter uma senha acessando o site da Agrodefesa (www.agrodefesa.go.gov.br), no ícone Sidago e depois no link Primeiro Acesso.

Participaram da solenidade de cessão de uso do Sidago representantes dos Estados de Alagoas, Sergipe, Pernambuco, Distrito Federal, Rio Grande do Norte, Bahia, Ceará, Maranhão, Paraíba, Piauí, Amapá, Roraima, Espírito Santo e Amazonas.


Secretaria de Comunicação - Governo de Goiás

Utilizamos cookies essenciais e tecnológicos semelhantes de acordo com a nossa Política de Privacidade e, ao continuar navegando, você concorda com estas condições.