Agrodefesa promove capacitação para o levantamento fitossanitário do HLB em Goiás

A Agrodefesa realizou Capacitação de Fiscais Estaduais Agropecuários no levantamento fitossanitário de Huanglongbing dos Citros (HLB) e monitoramento do psilídeo Diaphorina citri, que é um inseto transmissor da bactéria Candidatus Liberibacter spp., responsável pelos sintomas conhecidos por HLB na cultura de citros.

O HLB, inicialmente chamado de greening, é considerado uma das pragas dos citros de maior importância no mundo, em função da dificuldade de controle, da rápida disseminação e por ser altamente destrutiva.

Segundo o Diretor de Defesa Agropecuária, Sérgio Paulo Coelho, o levantamento fitossanitário do HLB e monitoramento do psilídeo em Goiás será realizado pela Agrodefesa em consonância com as exigências estabelecidas pelo Ministério da Agricultura conforme Portaria Federal nº 317, de 21/05/2021.

A capacitação ocorreu no período de 31 de agosto a 03 de setembro, nos municípios de Posse, Alvorada do Norte e Flores de Goiás, em áreas urbanas e rurais e contou com a cooperação técnica da Agência de Defesa Agropecuária da Bahia (ADAB).

O evento teórico foi realizado na sede da Universidade Estadual de Goiás – UEG em Posse, pela Coordenadora do Programa de Citros da Agrodefesa, Mariza da Silva Mendanha, que apresentou as ações de defesa sanitária vegetal realizadas em prol da citricultura goiana, e logo depois a Coordenadora de Citros da ADAB, Suely Xavier de Brito Silva e sua colega Maria Aparecida Carvalho C. Almeida, apresentaram a palestra “Huanglongbing dos Citros, Portaria nº 317/2021 e Metodologia das Rotas Sentinelas”.

O evento contou ainda com parte prática, onde a equipe da Agrodefesa foi capacitada quanto à identificação do psilídeo em armadilhas amarelas e plantas de murta, com o auxílio de lupas; e orientadas quanto a metodologia de inspeção em áreas comerciais de citros, nos municípios de Alvorada do Norte e Flores de Goiás, bem como na demarcação dos pontos da rota sentinela para instalação de armadilhas para o monitoramento do psilídeo.

A Gerente de Sanidade Vegetal, Daniela Rézio, esclarece que de modo a evitar aglomerações de servidores frente ao cenário de pandemia, foram capacitados nesse evento, além da Coordenadora do Programa de Citros em Goiás (Maria Mendanha), 02 (dois) Fiscais das Unidades Alto Araguaia (Lucas Arruda) e Rio Paranã (Arlete Côrtes Barreto), os quais colaboração na capacitação prática dos demais Fiscais que realizarão as ações de levantamento e monitoramento da praga nas áreas de citros e rotas sentinelas estabelecidas pela Gerência de Sanidade Vegetal.

O Presidente da Agrodefesa, José Essado, reforça que essa ação tem como objetivo assegurar a sanidade vegetal da citricultura goiana e expandir o agronegócio no Estado de Goiás.

Utilizamos cookies essenciais e tecnológicos semelhantes de acordo com a nossa Política de Privacidade e, ao continuar navegando, você concorda com estas condições.